domingo, 24 de setembro de 2017

DUPLA DE CRUZEIROS EM PORTIMÃO

O porto de Portimão recebeu hoje uma dupla de navios de cruzeiros de companhias diferentes mas ambas transportando na sua grande maioria passageiros norte-americanos.
O CORINTHIAN da operadora norte-americana Grand Circle Cruise Line atracou pelas 06H00, procedendo de Lisboa, aonde iniciou este itinerário de 12 noites intitulado "Iberian Voyage", e que liga a nossa capital a Barcelona. 
A bordo viajam 80 passageiros, sendo a sua tripulação composta por 70 elementos.
Pelas 7 horas foi a vez da chegada do SILVER WIND, um dos luxuosos navios da operadora Silversea, uma empresa de capitais italianos mas sediado no principado do Mónaco.
Esta escala é a primeira de um cruzeiros de 7 dias entre Lisboa e Barcelona, e que inclui para além de Portimão escalas em Cádiz, Málaga, Cartagena e Valência.
A bordo viajam cerca de 280 passageiros, sendo a sua tripulação composta por 210 elementos  

fotos e texto : António Silva

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

VARIETY CRUISES DAY hoje em Portimão.


O porto de Portimão recebeu hoje, e pela primeira vez em Portugal dois Yatch Cruisers da conhecida operadora grega Variety Cruises.
Para os que não conhecem a Variety Cruises devemos dizer que esta companhia, sediada em Atenas na Grécia é uma empresa que opera com um conjunto de pequenos navios, chamados "Yatch Cruises" e está direccionada para um tipo de passageiro da classe média/alta, habituado a um serviço de alta qualidade aliado a um atendimento de primeira, e que gosta sobretudo de conhecer pequenos e paradisíacos  recantos ao longo das costas do Mediterrâneo, Adriático, Ilhas Gregas e Turquia, assim como outros portos espalhados um pouco pela América Central e África Oriental, e que este ano inclui alguns portos desta zona do Atlântico e Mediterrâneo
A vinda desta operadora grega vem mais uma vez demonstrar o interesse que Portimão está a despertar junto de alguma industria de cruzeiros, o que vem reforçar a necessidade de se efectuarem as tão desejadas obras de beneficiação que há muito são reclamadas.
O primeiro a chegar foi o PAN ORAMA II pelas 08H00 que nesta cidade fará um "turn-around", com a mudança de passageiros, estando a sua partida agendada para o próximo domingo pelas 18H00 num itinerário inverso com destino a Cádiz.
O PANORAMA II é um "Yatch cruiser" construído em 2004, tem 50 metros de comprimento, uma boca de 11 metros com 4,5 metros de calado. Tem capacidade para alojar 45 passageiros em 25 cabines, sendo a sua tripulação entre 16 e 18 elementos.
Pelas 11H00 foi a vez da chegada do VARIETY VOYAGER, numa escala inserida num cruzeiro posicional entre o norte da Europa e o Mediterrâneo, tendo visitado igualmente os portos de Leixões e Lisboa 
Construído em 2012, este luxuoso e requintado "Yatch Cruiser"  possui 68 metros de comprimento, 11,5 metros de boca e um calado de 3,5 metros. Dispõe alojamento para 72 passageiros e 32 tripulantes. Os seus alojamentos dividem-se em 4 categorias e uma requintada Owners Suite.
Dedicado a uma clientela de alto poder económico, tal como são as restantes unidades que compõem a frota da Variety Cruises o VARIETY VOYAGER dispõe de 4 decks para passageiros, aonde estão localizados o Horizons Restaurant, o Riviera Lounge e o Spa & Fitness Suite.
Os seus interiores foram decorados com os materiais da melhor qualidade, com destaque para o uso de mármores de alta qualidade, carpetes Axminster e madeiras nobres. Em suma um verdadeiro iate das mil e uma noites.
O VARIETY VOYAGER tem a sua partida agendada para as 22H00 com destino a Cádiz.
Como curiosidade final podemos divulgar que em 2018 o porto de Portimão será o porto de turn-around da Variety Cruises que irá colocar neste itinerário entre Portimão e Barcelona o HARMONY G, que fará um conjunto de 12 escalas entre os meses de Maio e Outubro. Segundo o site da companhia os passageiros virão de avião até Lisboa e farão o percurso entre aquela cidade e Portimão de autocarro.

fotos : António Silva, Rui Minas
texto : António Silva

terça-feira, 5 de setembro de 2017

O RETOMAR DA LINHA RO/PEX PORTIMÃO-MADEIRA

O nosso amigo e colaborador Luís Monteiro escreveu hoje no SulInformação este excelente texto que transcrevemos com a devida vénia ao seu autor, focando um assunto que está a merecer a melhor atenção das entidades envolvidas neste processo e do qual se espera que haja uma resolução até ao final do ano..
""
 Depois de avanços e recuos, o Governo Regional da Madeira lançou finalmente, no passado dia 25 de Agosto, o concurso para a concessão de serviço público de transporte marítimo regular de passageiros e veículos através de navio ferry entre a Madeira e o Continente Português, que pressupõe uma ligação semanal com menos de 24h de duração.

Esta concessão será válida por 36 meses e, para concorrerem, os interessados dispõem de um prazo de 70 dias para apresentarem as suas propostas.
Mais do que uma questão de coesão territorial, esta é, sem dúvida, uma importante questão de desenvolvimento económico e de mobilidade entre uma região ultraperiférica e o continente.
As ilhas que formam o Arquipélago da Madeira constituem um dos raros casos na Europa em que não existe uma ligação marítima regular com o continente para passageiros e veículos, fazendo com que, quem viaja de e para a Madeira, tenha que recorrer apenas ao transporte aéreo.

Contudo, são bem conhecidos os constrangimentos que as condições meteorológicas adversas provocam regularmente nas ligações aéreas com a Madeira, com inúmeros voos a serem redirecionados, atrasos significativos nas partidas ou chegadas, e mesmo sujeitos a cancelamento.
Ainda recentemente, entre 4 e 7 de agosto, os ventos fortes que se fizeram sentir provocaram, segundo alguns meios da comunicação social, o cancelamento de 160 voos, afetando cerca de 22 mil passageiros.

Um transporte marítimo regular e semanal vem, assim, reforçar as ligações ao arquipélago e constituir-se, simultaneamente, como complementar e alternativa, quer ao transporte aéreo, quer ao transporte marítimo de contentores, permitindo que se atenue a insularidade e se promova o desenvolvimento e a qualidade de vida das populações, com redução dos custos dos produtos e dos tempos de trânsito de mercadorias.

Este concurso vem permitir que seja retomada a ligação marítima semanal que funcionou ininterruptamente entre Portimão-Funchal-Canárias, de junho de 2008 até final de 2011, e que foi assegurada pelo armador Naviera Armas.
Inicialmente, a companhia colocou ao serviço o ferry Volcan de Tijarafe, um navio com 143m de comprimento e capacidade para 1.000 passageiros, 1.500 metros lineares de carga rodada e 300 automóveis e, no verão de 2011, reforçou a ligação com o novo ferry Volcan de Tinamar, um navio de maior porte, com 175m de comprimento e capacidade para 1.500 passageiros, 1.850 metros lineares de carga rodada e 300 automóveis.
Durante este período, foram transportados mais de 95.000 passageiros e cerca de 51.000 veículos.
Recordo-me de ver motociclistas de clubes madeirenses a virem com as suas motos a concentrações no continente, empresas de rent-a-car que utilizavam a linha para aumentar ou reduzir as suas frotas automóveis na Madeira, os estudantes universitários que podiam, desta forma, levar os seus carros apinhados de material para as universidades no continente ou as empresas do Algarve a fornecerem diversos produtos e serviços (alumínios ou vidros, por exemplo) à construção na Madeira ou, simplesmente, os supermercados que recebiam produtos frescos praticamente de um dia para o outro.
                            
O Algarve é, pois, o destino mais próximo desta ”autoestrada marítima” com a Madeira, sendo o Porto de Portimão, enquanto “Porta Marítima do Algarve”, a solução natural para receber esta ligação.

Por um lado, a sua localização. Trata-se do porto mais próximo no continente, a apenas 495 milhas náuticas de distância, e que pela sua localização a sul, permite que o navio navegue por uma rota meteorológica que apresenta condições de agitação marítima mais favoráveis, aumentando consideravelmente o conforto e segurança proporcionados aos passageiros.

Favorecida pela sua localização, a barra de Portimão é uma das mais seguras do país e uma das que menos dias por ano encerra à navegação, o que permitirá manter a regularidade da operação e evitar um maior número de cancelamentos.

Por outro lado, a infraestrutura portuária e a sua equipa. O Porto de Portimão dispõe de um cais ro-pax específico para esta tipologia de navios, com uma ampla zona confinante para o parqueamento e circulação de veículos ligeiros e de mercadorias.
Dado se tratar de um cais dedicado à operação ferry (ro-pax), não conflitua com a operação de navios de cruzeiros.
Mas é na equipa do porto que reside o seu maior ponto forte, uma equipa que reúne uma grande experiência, graças aos três anos e meio da anterior ligação, e que consegue dar resposta às exigências que uma operação de grande complexidade como esta impõe.

O Armador que ganhar a concessão e assegurar o serviço público de transporte marítimo regular de passageiros e veículos através de navio ferry entre a Madeira e o Continente Português terá no Porto de Portimão um parceiro experiente e motivado, que dará um forte contributo à redução de custos e de tempos de operação e cuja localização permitirá manter a regularidade da ligação e reduzir significativamente os riscos de cancelamentos.""


Autor: Luís Monteiro é mestre em Gestão e Desenvolvimento de Destinos Turísticos pela Universidade do Algarve.
Responsável pela promoção do Porto de Cruzeiros de Portimão, entre 2005 e 2013.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Estivemos a bordo do SILVER MUSE, o novo navio almirante da Silversea.

O porto de Portimão recebeu hoje em escala inaugural o SILVER MUSE, o mais recente navio de cruzeiros da aclamada operadora Silversea Cruises, uma empresa italiana de cariz familiar mas com sede no principado do Mónaco.
Muito embora já tivéssemos tido a possibilidade de visitar outros navios desta companhia devemos dizer que o SILVER MUSE nos surpreendeu pela positiva pois os seus interiores são algo diferentes para melhor do que por exemplo o Silver Spirit, que foi até este ano o navio almirante desta operadora.
A sua decoração denota o cuidado dos designers da Silversea em apresentar um navio ainda mais luxuoso e apelativo do que o Silver Spirit, em que os tons da sua decoração são muito suaves, baseados no castanho e mel,  aonde houve o cuidado de transmitir a  sensação  de se estar mesmo num luxuoso resort, aonde o serviço oferecido é da mais alta qualidade.
Outro pormenor que notamos são as diversas peças de arte expostas ao longo do navio, aonde prevalecem os afamados vidros Murano, presentes em peças de arte e nos diversos restaurantes. 
Outra atracção deveras interessante e que julgamos inédita num navio de cruzeiros é a presença de um sapateiro que faz diversos tipos de calçado sob medida, um pormenor significativo do elevado nível de serviço deste navio
É desta visita que abaixo apresentamos este alargado conjunto de fotos, que nos permite dar a conhecer a maioria dos espaços públicos deste excelente navio de cruzeiro que hoje tibemos o prazer de ver e apreciar no porto de Portimão.
Gostaríamos de agradecer à Associação de Turismo de Portimão,na pessoa do nosso amigo José Casimiro o convite para o acompanhar no encontro com o Staff Captain e o Cruise Director, na breve cerimónia de boas vindas, assim como a Sandra Medeiros das relações publicas do navio, que nos acompanhou nesta interessante incursão ao SILVER MUSE.  

                  (Clicar em cima de uma foto para ver em ecran completo)













































































fotos e texto : António Silva